homem trabalhando com computador no colo

24 marAs maravilhas e as agruras do Home Office


Compartilhe!

Trabalhar de casa. Quem nunca sonhou com isso? Sobretudo quem trabalha há muitos anos em escritório. Com o avanço da tecnologia, muitas empresas já vêm aderindo ao home office para muitas funções. Com o aumento dos freelancers, autônomos e de pessoas abrindo empresas, trabalhar em casa é algo cada vez mais comum.

Seres humanos são seres que vivem de hábitos. Os hábitos, dizem os cientistas, surgem porque o cérebro está o tempo todo procurando maneiras de poupar energia.  Ao criar um hábito, tornamos um comportamento automático e não precisamos gastar energia pensamento sobre essas atividades todas as vezes que vamos realizá-la.

  • Home office morando com outras pessoas: Você anuncia que está trabalhando de casa e parece que a mensagem que as pessoas que moram com você ou pessoas próximas entendem é que está de férias. Pedidos começam a ser feitos como lavar a louça, ir ao mercado. Nesse caso, é o momento de exercitar o diálogo e aprender a dizer não. Se você ceder, é bem provável que as pessoas continuem te pedindo outras coisas. Lembre-se que somos feitos de hábitos.
  • Horários: Uma das coisas que as pessoas mais almejam ao começar a trabalhar em casa é a liberdade de horário, sobretudo para quem já trabalhou em organizações rígidas onde é preciso “bater cartão”, trabalhar de casa é como um grito de liberdade! E de fato, os horários tendem a ser mais flexíveis. Mas construir uma rotina é fundamental. Ter horário para começar e para terminar traz foco e organiza a sua vida. Muitas vezes achamos que podemos trabalhar menos, mas no final das contas, como estamos a poucos passos da nossa geladeira e cama, acabamos ficando muito mais tempo. Se você trabalha por projetos e fizer parte do seu negócio, você pode escolher o melhor horário onde você “funciona melhor” que pode não ser o horário comercial. E se criar essa rotina e focar é bem provável que acabe trabalhando menos tempo do que no escritório, mas com mais qualidade.
  • Pausas: já conversei com pessoas que mantinham uma rotina em casa como se estivesse no escritório. Preparava a comida da semana e deixava tudo pronto na geladeira. Eu não sou tão organizada assim. Confesso que às vezes faz falta, pois muitas vezes comi qualquer coisa e geralmente não saudável e nada parecido com almoço de verdade. Achei um meio termo. Eu faço o meu almoço. Levo um pouco mais de tempo, mas preparar minha comida me ajudou a prestar atenção ao que estou comendo, é uma forma de dar um tempo nas atividades e me concentrar em outra coisa, por incrível que pareça, ajuda na minha concentração na volta às atividades, logo após um descanso, claro. Incluir pausas dentro da sua rotina de horários é fundamental.
  • Disciplina e Procrastinação: Imagino que essa questão vá além do home office. Como não quebrar a rotina em um dia frio ou chuvoso, quando está com dor de cabeça ou diante de uma tarefa chata ou ainda se o trabalho não tem uma data combinada com o cliente ou fornecedor. O que deu certo para mim foi fazer aquela tarefa chata no início da manhã. Comer o sapo logo cedo e tirar da frente me motiva a cumprir minha lista sem distrações. Nesse caso é planejar: uma agenda semanal e visível em um quadro pode te direcionar. Mesmo se uma tarefa não tem uma data final, estabeleça uma. Muitos aplicativos de gestão de projetos e ferramentas de gestão podem te ajudar nesse planejamento. Se você trabalha com outras pessoas: tem um time ou sócio, combine o compartilhamento dessas ações com o outro, isso nos força a criar o hábito.
  • Silêncio que grita: Tem dias que não consigo me concentrar por estar silencioso demais. Isso mesmo. Muitas vezes, o meu principal desafio é vencer o silêncio que me desconcentra. Às vezes vou na cafeteria, ver gente e movimento, além de gastar mais dinheiro do que quero, a internet não ajuda. Descobri uma biblioteca, tem movimento, mas o silêncio e a internet continuam não ajudando. Não vou encontrar um lugar perfeito. Tem dias que prefiro e preciso ficar em casa, tem dias que saio e encontro um café, às vezes coworking. Entendi que ser flexível e entender como estou me sentindo e respeitar isso é o melhor a se fazer. Se você trabalha com outras pessoas ou tem amigos que trabalham da mesma forma, se valer de uma videoconferência e ter alguém ali para compartilhar uma ideia, pedir uma ajuda ou contar uma piada pode ser um bom recurso.

E você? Já aplicou alguma dessas dicas? Tem outras? O que funciona para você? Compartilhe com a gente! O importante é conseguirmos criar novos hábitos e desenvolver uma relação saudável com o seu trabalho e a sua vida pessoal.

 

Open chat